9 de janeiro de 2010

Me faz feliz, me faz sentir, me faz viver.

Felicidade é ser amiga das palavras, que me entendem, me ouvem e falam por mim, enquanto eu falo através delas. E quando nem elas conseguem traduzir, ficam presas ao meu lado, como i(r)mãs, me ajudando, se não a entender, a pelo menos suportar o peso do que não quer sair. Felicidade não é a ausência da tristeza, nem o oposto dela. É ver também na dor um motivo pra sorrir.


Tristeza é saber que, às vezes, nem as palavras são suficientemente claras pra fazer as pessoas entenderem as atitudes, e nem uma combinação das duas é suficiente pra que entendam os sentimentos.


Sentimento é um misto de todas as coisas. Das palavras, das traduções, das compreensões, dos pesos e seus respectivos antônimos. Algo de significado tão amplo que, como eu disse, às vezes nem a riqueza das palavras consegue expressar.


Riqueza é saber identificar o que cada uma dessas três palavras acima significam pra você."

8 de janeiro de 2009


7 de janeiro de 2010

Fragmento de adeus

"... E digo adeus calada, como quem ouve uma sinfonia de silêncios e de luz
Adeus ao que um dia pensamos ser... Ao que poderíamos ser... Ao que deveríamos ter sido.
Mas nunca direi adeus ao que realmente fomos. Isso está gravado em mim.. Não é só seu nome em minha pele. É a sua vida, sua existência gravada em meu ser."

Só um trecho de algo que está dentro de mim.